PSEUDO-VERDE

Em época de estampar partido e levantar bandeira, feliz é aquele que ao reutilizar uma garrafa plástica acha que está salvando o meio ambiente. Feliz é aquela que saúda a natureza no Dia da Árvore em uma postagem no Facebook. Feliz é aquela multinacional que imprime no rótulo do produto sua mais nova iniciativa ecossustentável. Já encorajava o dito popular: jogar verde para colher maduro. Entretanto, até onde essas práticas, supostamente verdes, contribuem para a conscientização e a busca por um equilíbrio ambiental?

 

A começar pela questão da garrafa plástica: estima-se que 50% do plástico do planeta é usado apenas umas vez antes de ser descartado. O desafio é elaborar um descarte apropriado. O ritmo de produção atual, consequentemente, traz um problema disputatorial de matéria-prima. Tendo isso em vista, a reutilização de garrafas de água parece ser a campanha certa a se seguir. Contudo, qual o motivo por trás da decisão de algumas cidades pelo mundo de banir os engradados plásticos que armazenam especificamente água? A justificativa é dada por uma série de estudos sobre a composição química das garrafas e das alterações que estas podem sofrer.

 

As garrafas não são feitas para a reutilização. Constituem um ambiente úmido, fechado que obtém contato direto com a boca e as mãos, criando o local perfeito para a proliferação de bactérias. Além disso, quando expostas ao calor, as garrafas contaminam a água com um composto chamado Bisfenol A (BPA), que se desprende do material plástico. Porém, nem todo engradado possui BPA em sua fórmula. As garrafas tipo PEF (politereftalato de etileno) são mais resistentes, o que não exclui a possibilidade de apresentar problemas. Foram registrados casos de alteração hormonal, mutação genética e disfunções ligados ao uso contínuo de garrafas plásticas bem como ao consumo de seu conteúdo, seja água ou outro bebida. Todavia, protagoniza-se a água porque acredita-se que a água engarrafada é mais limpa e de melhor qualidade que a água encanada. Dessa maneira, a comercialização de garrafas d’água não sofreria sanções mesmo se fosse de conhecimento público os possíveis danos à saúde.

 

A cidade de Concord, nos EUA, proibiu a venda de garrafas de água para consumo individual em 2012 e desde então investe na qualidade da água encanada. Essa medida se deu pela atuação de ativistas que perceberam que a água engarrafada vinha das mesmas fontes de saneamento administradas pelo município. Autores de lei com a mesma proposta em São Francisco, EUA, afirmaram que um terço da água engarrafada é água comum, encanada, e embalada. Em decorrência disso, o preço e a qualidade da água vendida em garrafa passaram a ser questionados no mundo todo. O marketing da indústria de bebidas foi fortemente questionado por induzir a desconfiança em relação à água de torneira, encanada.

 

A iniciativa de Concord e de São Francisco mostra-se como a solução mais cabível, mas levanta outras questões, com o a de distribuição de água em espaços públicos e grandes eventos. Para que isso fosse resolvido, a administração de Concord optou por construir estações de abastecimento de água pela cidade, uma nova geração de bebedouros. No inverno, os bebedouros são desligados para que os cabos não congelem e o comércio local oferece água gratuita para hidratar a comunidade. Nos supermercados e lojas de conveniências, as prateleiras e geladeiras trocaram a água comum por bebidas saborizadas. Os cidadãos reclamam de não ter a opção de beber algo mais saudável e, ironicamente, esse foi o mesmo argumento usado pelas representações de grandes empresas do ramo para convencer os supervisores do Conselho a apoiar a comercialização de água em garrafas.

 

A suspensão de venda de garrafas plásticas não é uma tendência mundial, pois envolve uma reestruturação do sistema de saneamento básico e esgoto. Para que possa vir a funcionar de fato, seria necessária uma reorganização do abastecimento de água. Enquanto isso não acontece, a sustentabilidade é apenas mais um conceito apropriado pelo capitalismo para colher maduro.

Please reload

Em Destaque

AVENTURAS NO ESPAÇO

March 30, 2018

1/10
Please reload

Recentes

February 19, 2019

February 19, 2019

February 19, 2019

February 19, 2019

February 19, 2019

February 19, 2019

February 19, 2019

February 19, 2019

February 19, 2019

February 19, 2019

Please reload

Arquivo
Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

folhinhaaplicada@gmail.com   /  Av. Esperança, S/N - Campus Universitário, Goiânia - GO, 74690-900

Diretoria APM 2018-2019 20181221_185945.

PARCEIROS:

  • Facebook Folhinha Aplicada
  • Instagram - Folhinha Aplicada
  • YouTube - Folhinha Aplicada
ISSN 2595-0576

© 2017 por Leonarlley Rodrigo Silva Barbosa. Orgulhosamente criado com Wix.com