Vol. 11, Nº 43, Abril/2020

AOS LEITORES

Olá! Esperamos que esteja bem! Infelizmente a situação da pandemia continua, ainda precisamos lidar com ela. Assim, nesta edição, apresentamos informações, dicas, relatos e produções desse momento. Insistimos para que explore a arte de maneira geral, conheça, curta e dê asas a criatividade, pois ela acalenta e promove elaboração. Aceite esse desafio e continue a colaborar com o Folhinha. Envie o que anda produzindo, dê sua opinião e vamos em frente! Até a próxima edição!

PARA SABER MAIS

UFG CRIA PLATAFORMA WEB PARA MONITORAR COVID-19 EM GOIÁS

Uma equipe multidisciplinar da Universidade Federal de Goiás (UFG) desenvolveu a plataforma web Covid Goiás UFG, que permite o monitoramento da pandemia de covid-19 no Estado de Goiás, em nível municipal. A solução busca atender tanto ao cidadão comum que quer acompanhar os números de casos confirmados, quanto aos agente públicos, em especial aos da área de saúde, que precisam de um leque mais amplo de informações para a tomada de decisões. 

(Fonte: https://jornal.ufg.br/n/125674-ufg-cria-plataforma-web-para-monitorar-covid-19-em-goias Acessado em 06/05/2020).

Clique na imagem abaixo e veja as atualizações em tempo real.

Sem título-1.jpg

CANTINHO DE LEITURA

CORONAVÍRUS

Para com isso acabarmos

o que devemos fazer?

Devemos nos cuidar,

 nos proteger e essa praga deter!

 

Alguns cuidados seguir:

Lavar bem as mãos, muitas vezes ao dia.

Fique em casa, ou seja, em sua moradia.

 

Só saia se for urgentíssimo - uma precisão,

Ficar em casa é nossa obrigação.

 

Sabemos que os idosos devem se prevenir,

 é uma doença perigosa que chegou por aqui.

 

Fique em casa.

Lave as mãos com água e sabão

crianças, jovens, adultos e idosos

vamos evitar aglomeração.

 

Mantém a higiene

da casa, dos ambientes em que ficamos,

 Lave bem os alimentos

E livre dessa doença estamos.

 

Enfim, vamos todos conscientizar

Seguir as orientações,

Procurar comprar álcool em gel

porque esse produto não vai cair do céu.

 

Essa pandemia vai acabar

Deus vai nos ajudar

Em breve as coisas voltarão ao seu lugar.

Luíza Ascenso Ribeiro - 10 anos (Integrante do projeto Caminhos da Esperança em Cristalândia do Piauí).

No texto "Se gente fosse livro", publicado no caderno Almanaque, do jornal O Popular, em 12 de julho de 2015, sua autora, Diane Valdez diz que seria muito divertido e interessante ter livro-gente. Ela faz um pergunta: qual seria o seu livro-gente favorito? Liv aceitou o desafio e assim escreveu:

LIVRO-JOYCE

Se gente fosse livro meu favorito seria o livro-Joyce

O livro-Joyce cheira poesias, respira palavras e suas páginas são escritas com a caneta dos poemas e as letras de esperança. As páginas de livro-Joyce retratam um olhar atento ao mundo e um coração de leitura.

A capa de livro-Joyce é de ouro com flores coloridas e fitas brancas de cetim como enfeite. Livro-Joyce era rica, rica em histórias e ensinamentos de tudo que é tipo.

A autora é minha professora e eu a amo muito

Liv de Pelegrin (5º ano B - Cepae/UFG/2019 - Goiânia-GO)

Que tal fazer como Liv, escrever sobre o seu livro-gente? Não esqueça de enviar para o Folhinha.

VOCÊ SABE COMO ALIMENTAR OS GATOS?

DICAS DO FOLHINHA

Escrito e ilustrado por Tomás Machado - Goiânia-GO.

FALA LEITOR

Meu relato de como está sendo a minha quarentena está sendo assim: eu fiquei sabendo aí minha mãe já saiu para fazer compras. Comprou tudo o que tinha que comprar. Ela voltou para casa e ficamos sem sair. Quando a gente quer sair precisamos de usar máscaras. Eu não gosto, mas precisamos usar. O bom é que todos os dias estou dormindo até mais tarde, lendo livros e assistindo filmes. É assim que está sendo a minha quarentena.

Emilly Cristina Batista da Silva (Turma E2 - Escola Municipal Nossa Senhora da Terra - Goiânia-GO).

Oi, pessoal.

Nesses tempos de isolamento social é normal que de vez em quando a gente se sinta triste,
confuso, com saudade dos amigos, da escola e de pessoas que amamos. Todos nós esperamos
que isso passe logo, mas enquanto ainda precisamos ficar em casa temos que cuidar da nossa
saúde lavando bem as mãos e usando máscara sempre que precisar sair. Isso é pelo nosso
bem, da nossa família e de todas as pessoas também. Alguns outros cuidados também podem
ser tomados para nossa saúde mental. Você sabe o que é isso? São cuidados importantes
conosco e tem a ver com nossos sentimentos e pensamentos.


Mas como fazer isso? Vão aí algumas dicas:


Brinque bastante! Os jogos eletrônicos são ótimos, mas não fique só em frente às telas. Tente descobrir brincadeiras da época de seus avós e de seus pais, quando voltarem as aulas, você poderá compartilhar com seus amigos.


Brinque de corda, de pular, de correr no quintal, de dançar. Não deixe de mexer o corpo por aí.
Escreva cartas e/ou faça desenhos para seus amigos e para as pessoas que você não pode encontrar agora, se não conseguir colocar nos correios, você pode entregar assim que encontrá-los.


Que tal fazer um mural no seu quarto com desenhos e atividades que fizer nesses dias? Ah, lembre-se de deixar seu quarto organizado!


Separe alguns brinquedos que você não usa mais, mas que outras crianças possam usar. E aproveite para organizar os que você ainda quer brincar.
Durma e se alimente bem!


Quando tiver dúvidas sobre o coronavírus pergunte aos seus familiares. Talvez eles também não saibam tudo, mas vocês vão poder conversar sobre e quem sabe buscar as respostas juntos.


Falem sobre seus sentimentos com pessoas em quem você confia. Quando a gente fala sobre nossos medos, tristezas e dúvidas, podemos nos sentir melhor.


Agora é hora de treinar a nossa paciência e aguardar a volta às aulas para encontrar os amigos, professores e matar a saudade!

Marisa de Medeiros Ferreira
Anna Carime Souza
Psicólogas escolares do CEPAE (Goiânia-GO).

FOLHINHA CULTURAL

Em tempos de quarentena a ordem do dia é se reinventar, aulas,  orientações, reuniões online, chats, atendimento via Skype, plataformas das mais diversas, sem falar no e-mail nosso de cada dia e nas mil mensagens diárias no whatsapp. O importante é não parar, manter a mente ocupada, cuidando da saúde e ao mesmo tentando atender as demandas diversas que acabaram surgindo. Aulas em EAD exigem outros cuidados, outros planejamentos e impõem também diferentes desafios.

 

Para quem trabalha muito com o corpo, realizando vivências e tem uma parte prática pulsante em suas aulas o quebra-cabeças ficou ainda mais complexo. Como estimular os alunos a participarem, sem esmorecer e nem perder a qualidade? Para mim ficou claro que logo eu teria que adicionar às minhas disciplinas um toque de humor e ludicidade. Estou lançando alguns desafios e claro, eles têm que topar para a magia acontecer .

 

Uma das disciplinas que ministro se intitula Itinerários Culturais - Arte e Literatura Brasileira, a ideia essencial constante na ementa é ampliar o repertório cultural dos alunos, no nosso caso sobre Arte e Literatura no\do Brasil, passando pelas artes visuais, dança, teatro música, literatura, cinema, gastronomia, etc. Para que isso aconteça, além de discutirmos textos, os alunos precisam construir relatórios de livros,  filmes, contos, espetáculos que indiquei e discutimos juntos. Sempre cantamos juntos, desenhamos, enfim, vamos fazendo o que é possível à distância, mas mais recentemente vi uma ideia no canal Arte 1 em Movimento que me deixou empolgada: você se transformar numa obra de Arte.

 

Realizei a façanha em casa, revisitando algumas obras universais, não apenas brasileiras, com o marido e a filha, e agora os alunos precisarão experimentar. Acho que a atividade é muito legal, ao mesmo tempo que abre o horizonte de conhecimento de obras, diverte e relaxa um pouco todos nós que estamos vivendo angústias, ansiedades e medos.

Viva a arte, ativando a criativadade, permitindo a expressão e agregando valor em nossas vidas!

Profª Dra Keyla Andrea Santiago Oliveira

Docente efetiva do quadro de professores da Graduação e Pós Graduação da UEMS - Dourados - MS

Que tal participar deste desafio de fazer releituras de obras artísticas? Para inspirar você,  visite sem sair de casa os museus virtuais... Será uma experiência incrível!

Para acessar CLIQUE AQUI.

CULTURA CORPORAL

O QUE APRENDEMOS NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA?

Profa. Naiza Fraga

(Turma E - Escola Municipal Bernardo Élis - Goiânia - GO)

O QUE É CULTURA CORPORAL DE MOVIMENTO

Profa. Naiza Fraga

(Turma D - Escola Municipal Bernardo Élis - Goiânia - GO)

CURTAS

Arthur (14) e Matheus Pacheco (6) vivem em Lisboa, Portugal. Eles também estão  em quarentena. Vejam como exploram a criatividade e a imaginação: produziram um curta com o celular. Confira  e depois dê sua opinião.

Assista ao documentário "O vale da desigualdade",  produzido em 2018, como Trabalho de Conclusão de Ensino Médio (TCEM) no Cepae/UFG - Goiânia sob a orientação da Profa. Juliana Ribeiro Marra.

JOGO DOS 7 ERROS

Clique na imagem abaixo e e brinque com o jogo dos 7 erros.

panela.jpg

Desenho de Alice Curti (7 anos - Cepae/UFG - Goiânia-GO).

QUEM FEZ ESTA EDIÇÃO:

Maria Alice de Sousa Carvalho Rocha, Leonarlley Rodrigo Silva Barbosa, Santiago Lemos, Sofia Carvalho Rocha, Joyce Oliveira, Marisa de Medeiros Ferreira, Anna Carime Souza, Keyla Andrea Santiago Oliveira, Naiza Fraga, Andrea Alves de Sousa, Rusvênia Luiza, Kely Amorim Ribeiro.

folhinhaaplicada@gmail.com   /  Av. Esperança, S/N - Campus Universitário, Goiânia - GO, 74690-900

Diretoria APM 2018-2019 20181221_185945.

PARCEIROS:

  • Facebook Folhinha Aplicada
  • Instagram - Folhinha Aplicada
  • YouTube - Folhinha Aplicada
ISSN 2595-0576

© 2017 por Leonarlley Rodrigo Silva Barbosa. Orgulhosamente criado com Wix.com